Pesquisar

 
Enquadramento

Enquadrado por uma paisagem que varia das altas serranias, estranhamente belas na sua aspereza e isolamento agreste, até às encostas do rio Douro, talhadas em socalcos pela mão do homem e chão privilegiado de onde brotam os vinhedos, este concelho merece uma sugestiva viagem de lazer, navegando nas águas do rio Douro e descobrindo o Património Natural e Arquitetónico que este município possui.

Na verdade, não é fácil encontrar noutras zonas do interior do país, um território com tantos e diversos monumentos, ilustrando assim um passado recheado de atividade e azáfama construtiva, só possível graças à fervorosa crença religiosa que caracteriza este povo, e à permanência de famílias nobres e aristocráticas que, ao longo de séculos, aqui mantiveram residência.

Estas vertentes, explicam, de maneira geral, a riqueza patrimonial e artística de base religiosa e a multiplicidade de solares brasonados, bem ilustrativos da presença de uma aristocracia rural que aqui perduraria quase até à atualidade.

Por aqui há pinturas rupestres, necrópoles megalíticas, castros romanos, e ruínas de muralhas. Poderá fazer-se prova, através de uma visita atenta aos inúmeros testemunhos arqueológicos e arquitetónicos, a saber: Dólmen de Areita e Santos Mártires em Paredes da Beira; Praça da República, Capela da Misericórdia, Solar dos Távoras, Casa do Cabo, Igreja Matriz, Paços do Concelho em S. João da Pesqueira; Solar Corte Real em Vilarouco; Casa do Adro, Paço Episcopal, Solar dos Caiados Ferrão e a Igreja Matriz (património nacional) em Trevões.

O visitante pode, portanto, visitar o vasto património existente nas diversas freguesias do concelho.

Na barra lateral poderá encontrar toda a informação turística pertinente.