Pesquisar

 
S. João da Pesqueira

S. JOÃO DA PESQUEIRA está literalmente no coração da primeira região vinícola demarcada do mundo, a Região Demarcada do Douro, onde nasce o famoso Vinho do Porto e vinhos de mesa de prestígio incomparável. As paisagens da região, sucessão infinita de encostas rasgadas em socalcos que os homens desenharam, surpreendem pela grandeza e convidam a uma viagem através da história.
Este povoamento remonta a tempos ancestrais, prova disso são os inúmeros vestígios arqueológicos existentes por todo o concelho, para além dos palácios brasonados, das igrejas seculares abonadas em história e cultura que testemunham diferences épocas da história. Para além de todo o património edificado esta terra orgulha-se de possuir belíssimas paisagens com os vinhedos como marca dominante, as amendoeiras em flor como um espectáculo de Inverno e o rio Douro como raiz e identidade.
S. João da Pesqueira, terra que se orgulha de deter o Foral mais antigo de que há memória, um dos mais antigos do país, anterior à criação da nacionalidade portuguesa.
Todas estas singularidades, ficam marcadas e reconhecidas em 2001 com a classificação do Alto Douro Vinhateiro como Património Mundial, sendo S. João da Pesqueira o concelho que maior área classificada detém (cerca de 20%).

Praça da República
Em pleno Centro Histórico de S. João da Pesqueira, encontra-se a Praça da República onde pode contemplar um harmonioso conjunto de património histórico monumental recuperado a nível de fachadas e pavimento. Destaca-se aqui a Capela da Misericórdia com uma fachada barroca revestida com dois painéis de azulejos representando “Cristo e a Samaritana” e “Cristo curando um enfermo”.
Este monumento foi privativo da família ilustre de D. Luís Alvares de Távora, senhor da vila, que a ofertou mais tarde à Misericórdia local.
Outro dos atractivos é também o Arco, Torre do Relógio e a Arcada do século XVIII que serviu de mercado noutros tempos.
Do lado oposto à capela encontra-se o edifício dos antigos paços do concelho e cadeia, cuja frontaria é emoldurada com brasão das quinas e, por baixo, placa oval alusiva à construção da casa da Câmara, cárcere, torre do relógio e arcada, pela Rainha D. Maria I, em 1794.
Actualmente este edifício serve de Posto de Turismo e alberga o Museu Eduardo Tavares.

Palácio de Sidrô
A Quinta apalaçada de Cidrô (ou Sidrô) pertenceu a Luís de Soveral Vassalo e Sousa, avô do Marquês de Soveral. O Marquês nasceu na Quinta mas o actual palácio é construção característica da segunda metade do século XIX. O Rei D. Manuel II (e certamente seu pai, D. Carlos) algumas vezes convidado de honra do influente e prestigiado Marquês, gostava de passar aqui a época das vindimas com a embaixada real. As recepções aparatosas com bailes de gala e lautos banquetes, faziam-se na Casa do Cabo.

Igreja Matriz de S. João da Pesqueira
De arquitectura modesta, deixa sobressair a fachada do século XIV. No seu interior encontra-se o altar-mor em estilo barroco, bem como 35 caixotões do século XVII que forram o tecto.
A Igreja de fachada simples do século XIV, com portal de arco ogival interrompido e rematado por uma sineira de dupla ventana. Interiormente salientam-se o retábulo-mor barroco e o tecto apainelado do século XVII, bem como as várias lápides funerárias existentes no seu lajeado. Apesar da simplicidade, vale a pena admirar a fachada e entrar para ver a sua decoração interior.

Edifício dos Paços do Concelho
No lado oposto à Igreja Matriz encontra-se o edifício dos Paços do Concelho; construção erudita, tipo apalaçada. A cornija, as molduras de granito e sacada guarnecida de varanda de ferro dão ao edifício um ar nobre.
Merecem atenção os painéis de azulejos no átrio, interessante mostruário das fases da vinha e do vinho.
Vale a pena entrar no edifício para observar no átrio, artísticos frisos ou painéis de azulejos alusivos à cultura da vinha e do vinho.

Casa do Cabo
Solar campestre cuja fachada cenográfica, dividida em 3 corpos por pilastras, se desenvolve horizontalmente, seguindo uma tipologia arquitectónica de Nasoni. As janelas apresentam padieiras profusamente lavradas com motivos rocaille. No corpo central, ladeado por pilastras rematadas por fogaréus, destaca-se o balcão recortado assente sobre pilares prismáticos, onde se abre uma portada de molduras trabalhadas. A rematar, o brasão joanino sobre empena circular monumental. Vale a pena uma visita ao interior deste palacete, actualmente Palácio da justiça.

Rua dos gatos
A Rua dos Gatos foi a rua onde nasceu S. João da Pesqueira. Pensa-se que teve origem numa ocupação Árabe e é, hoje, o autêntico ex-libris da Vila Medieval, com uma estruturação do espaço que remonta àquela época e incluía uma judiaria (local onde viviam os judeus, que eram desligados da população e eram também negociantes) e um arruamento de judeus e cristãos novos.

Mapa