Pesquisar

 
Vilarouco e Pereiros

Marcadamente rural, a graciosa aldeia dos Pereiros espera de braços abertos os visitantes para lhes revelar os segredos que ainda se guardam nos seus recantos. Segundo uma tradição local, a aldeia dos Pereiros terá nascido no lugar de Covas, onde existiu uma aldeia durante a idade média e que foi abandonada pelos seus habitantes que se vieram estabelecer nos Pereiros. A aldeia é pequena, rodeada por vários campos agrícolas onde sobressaem a amendoeira, o sobreiro e a oliveira.

Pereiros também teve os seus filhos cristãos-novos, como os descendentes das famílias Costa e Sobral, entre outras. Ainda que não haja certeza das suas moradas, a verdade é que subsistem alguns vestígios de herança judaica e cristã-nova na aldeia, como inscrições simbólicas e sinais mágico-religiosos. Hoje, os Pereiros estão unidos administrativamente ao Vilarouco, constituindo uma só freguesia, mas as suas histórias cruzam-se desde há séculos, sobretudo no que respeita às famílias cristãs-novas.

Apesar de ainda não terem sido encontrados, no Vilarouco, vestígios enquadráveis no conjunto do património cultural de herança judaica e cristã-nova, permanecem muitos ecos da presença de famílias de credo mosaico. Atualmente, ainda existe a crença que certas famílias seriam «hebreus», vindos de Vila Nova de Foz Côa, e foram os antepassados de muitos dos que se dedicaram a atividades artesanais, como os sapateiros.

Dessa crença e tradição oral, os vilarouquenses fazem notar que, desses tempos antigos, se mantiveram sobrenomes de
família como Abraão e Raquel e alcunhas como «Rabi». Ao que parece, deixaram descendentes sobretudo entre duas famílias: os Sousa e os Costa. Além disso, o epíteto de sumagreiros, que persiste nos nossos dias, denúncia uma das atividades mais importantes a que os vilarouquenses se dedicavam e que cujo circuito comercial era detido, curiosamente, por cristãos-novos dispersos entre São João da Pesqueira, Porto, Lamego, Tabuaço, Mirandela e Torre de Moncorvo.
Da presença e vivências dos «hebreus» nos Pereiros e no Vilarouco ainda se colhem hábitos muito ligados aos costumes judaicos, principalmente na gastronomia, como os biscoitos almendrados e os redondinhos ou caladinhos.

Markedly rural, the small village of Pereiros awaits with open arms all the visitors to reveal the secrets that are still kept in their nooks and crannies. According to a local tradition, the village of Pereiros was born in the place of Covas, where a village existed during the middle ages and was abandoned by its inhabitants who came to settle in the Pereiros. The small village is small, surrounded by several agricultural fields where the almond, corktree and olive trees stand out.

Pereiros also had his new-Christian children, such as the descendants of the Costa and Sobral families. Although there is no certainty of their dwellings, the truth is that there remain some vestiges of Jewish and new-Christian heritage in the village. Today the Pereiros are administratively united to the Vilarouco, constituting a single parish, but their histories have crossed each other for centuries, especially with regard to new Christian families.

Although not yet found in Vilarouco, vestiges within the cultural heritage of Jewish and Christian-New heritage, echoes of the presence of families remain. Nowadays, there is still a belief that certain families would be "Hebreus", who would have come from Vila Nova de Foz Côa and who were the direct ancestors of many who engaged in craft activities, such as shoemakers

From this belief, Vilarouco tell us that family surnames like Abraham and Raquel were kept and nicknames like "Rabbi". Apparently, they left descendants particularly between two families: the Sousa and the Costa. In addition, known as sumagreiros, persists in our days, denouncing one of the most important activities to which the “Vilarouquenses” were dedicated and whose commercial circuit, curiously, was detained by young Christians dispersed between São João da Pesqueira, Porto, Lamego, Tabuaço, Mirandela and Torre de Moncorvo.
From the presence and experiences of the "Hebreus" in the Pereiros and the Vilarouco are still collected habits closely linked to Jewish customs, especially in gastronomy, such as “biscoitos almendrados” and “caladinhos”.

 

Mais informações em: | More information at:

Mapa interactivo dos vestígios encontrados